terça-feira, junho 27, 2017

Temer nos envergonha (parte II)

Antes que possa ser mal interpretado, não faço parte dos que se sentem envergonhados com o Brasil. Embora o resultado da pesquisa retrate com precisão o constrangimento do brasileiro com o momento atual:  atribuo aos governantes - e não ao país - tamanha decepção. Sem rumo e sem crédito, Temer e seu staff ocupam o noticiário da pior forma possível: mostrando o que realmente são. A nossa autoestima, que desde os 7x1 contra a Alemanha vem se arrastando que nem cobra pelo chão, depois da delação do "Joesley Safadão" desabou de vez.(*)

Ontem, para agravar ainda mais o quadro de profundo descrédito com Temer, o procurador - geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia contra Temer por corrupção(**). Pela primeira vez um presidente da República vira réu em ação movida pelo Ministério Público Federal. Segundo André Souza, do O Globo, Janot tem dito que "não há dúvidas de que Temer cometeu crimes de corrupção" . As investigações e perícias continuam e, por consequência, o desgaste de Temer também. Quanto ao Brasil,  para essa turma: que se dane.

(*) "Joesley Safadão" foi como Fernanda Torres, em artigo assinado, passou a chamar o CEO da JBS.

(**) Só para lembrar os distraídos: a aprovação de Michel Temer é a menor de um presidente em 28 anos, 7%. Dilma, golpeada por Temer e sua turma, às vésperas do impeachment tinha: 13%.

segunda-feira, junho 26, 2017

Temer nos envergonha

Nunca antes na história desse país sentimos tanta vergonha de um governo. Temer nos envergonha: aqui dentro e lá fora. Os relatos que chegam de sua infeliz passagem pela Noruega onde acabou sendo enquadrado pela primeira-ministra, Erna Solberg, pela corrupção generalizada e pelo aumento do desmatamento das florestas tropicais - só confirmam a vergonha que sentimos. (*)

Depois de passar por uma saia justa sem precedentes no exterior, quando expos o Brasil ao ridículo, Temer volta ainda mais desacreditado.  O pouco apoio que lhe resta está no Congresso Nacional, que sempre lhe deu guarida. Do outro lado da rua, no Supremo Tribunal Federal, a possibilidade de sobrevida se reduziu bastante. Afinal, qual Ministro do STF vai fingir que não viu seu assessor especial, o "idôneo Rocha Loures", correndo com uma mala de dinheiro, numa noite de outono, pelas ruas de São Paulo. (**) 

(*) A situação relatada por Daniela Flor (que aliás escreve para a VEJA) vai além de um puxão de orelha. A Noruega é a principal fonte de recursos externos para o Fundo Amazônia. Com o crescimento do desmatamento no governo Temer, a ajuda norueguesa caiu pela metade: de R$333 milhões para R$ 166,5 milhões.

(**) Temer e seus cúmplices fizeram de tudo para afastar Dilma. Até inventaram uma tal de "pedalada fiscal".  Agora Temer está pagando  pelo que fez. Que vergonha: um presidente do Brasil ser enquadrado numa visita oficial no exterior. Também pudera: com um assessor especial flagrado correndo com uma mala de dinheiro,  só podia dar nisso!

PS-  Em relação ao comentário de hoje, segundo o Datafolha: em dezembro 28% da população sentia vergonha de ser brasileiro. Na última pesquisa de sexta, dia 23, esse índice pulou para 47%.     

quinta-feira, junho 22, 2017

América sem Carbono: sementes estão sendo lançadas



Por onde passo espalho sementes do novo programa do Instituto IDEAL - América sem Carbono. Foi assim na última terça-feira, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, durante o sexto seminário "Cidade bem tratada". Na foto acima a mesa de abertura. Ao centro o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Filho. Na Tribuna a secretária do Meio Ambiente que representava no ato o governador José Ivo Sartori.


Nem o frio afastou os gaúchos do seminário, o que confirma o enorme interesse pelo tema da sustentabilidade e de uma matriz energética mais limpa. Para quem acompanha essa temática há um bom tempo, logo percebe que da curiosidade passamos para a necessidade de nos  envolver mais com politicas globais do bem. Só assim programas como o América sem Carbono deixarão de ser sementes espalhadas pelo vento, para se transformarem num novo paradigma de desenvolvimento.

PS- Mais de mil pessoas passaram por lá. E com certeza terão muita história para contar. São elas que vão fazer sementes virarem árvores e árvores virarem florestas. Só por curiosidade, na foto que recebi contei 34 mulheres e 20 homens. Nada mal, afinal o futuro do mundo é delas.  (Foto acima de Claiton Dornelles) 

quarta-feira, junho 21, 2017

Energia solar: bem acolhida pelos gauchos.

Para surpresa dos próprios gaúchos, o Rio Grande do Sul é o terceiro estado no ranking das instalações de energia solar fotovoltaica ligada a rede (*). De todas as informações que apresentei aos participantes do 6° Seminário "Cidade bem tratada", ontem na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, essa talvez tenha sido a mais impactante. No Jornal do Comércio de hoje o tema abordado foi capa do  jornal.

No dia anterior, na abertura do evento, autoridades locais tinham expressado o compromisso do governo com o setor carbonífero, historicamente presente na matriz energética do Rio Grande do Sul. Utilizando dados do último relatório da Bloomberg, de 15 de junho, procurei mostrar o atraso que representa defender o uso de combustíveis fósseis para o mundo do futuro: inovador e sustentável.

Ao repassar a avaliação da Bloomberg para os próximos anos, que mostra a geração de energia elétrica a partir da queima do carvão desabando na Europa e nos EUA,  penso que é o tipo de informação que irá ajudar os gaúchos a reavaliarem a expansão do uso do carvão em larga escala. Outro dado importante do  relatório sobre o  uso do carvão na matriz energética dos países, sem dúvida foi ter identificando como os dois únicos grandes mercados que ainda sobraram, a China e a  Índia. Aliás, no momento, os dois países que mais tem investido em energia solar fotovoltaica. O mundo, já se deu conta: o carvão polui e o seu custo de extração é crescente (**).

(*) A boa performance do Rio Grande do Sul aparece no  estudo de mercado fotovoltaico 2016, do Instituto IDEAL em parceria com a AHK (RJ) e apoio da ANEEL.

(**) Apesar do presidente Trump pensar ao contrário. América sem Carbono é o caminho.

segunda-feira, junho 19, 2017

América sem Carbono: é o que se quer.

Começa hoje o seminário Cidade Bem Tratada, na Assembleia  Legislativa do Rio Grande do Sul. Porto Alegre amanheceu nublada e fria. Temperatura perto dos 10 graus. Acho que durante os debates no seminário e na TV "o tempo vai esquentar". Afinal o Estado aposta no carvão e nós do Instituto IDEAL- numa América sem Carbono.

Poucos por aqui sabem que a energia solar fotovoltaica cresceu 340% em 2016. E tão pouco sabem, que Rio Grande do Sul ocupa o terceiro lugar no ranking nacional de instalações já realizadas. E que em países com forte presença do uso da carvão na matriz energética, como Alemanha, Austrália e EUA, o custo da energia solar já é competitivo com a energia produzida pela queima do carvão.

Segundo o relatório da Bloomberg, de 15 de junho, o uso do carvão como fonte de energia desaba na Europa e nos EUA (*). E por aqui a ENGIE, maior empresa privada de geração de energia, dona das grandes usinas térmicas a carvão operando no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, já anunciou que vai se desfazer de suas usinas.(**)

(*) A Bloomberg é a principal agência de risco no setor de energia.

(**) A ENGIE, antiga Tractebel, é a maior empresa de energia elétrica do mundo. A decisão de abandonar a energia elétrica produzida pela queima de carvão, recentemente anunciada, está de acordo com a politica global da empresa em defesa do clima e das energias renováveis.

PS- num final de semana onde Joesley e Temer mostram o que realmente são, a boa nova ficou por conta da Parada Gay em São Paulo. Três milhões de pessoas ocupam as ruas em paz para protestar contra o governo e em defesa do Estado laico. 

sexta-feira, junho 16, 2017

Ninguém merece

Um feriado sempre nos  faz refletir. Principalmente num momento como esse, onde cada dia é uma agonia. Nunca se sabe qual vai ser a nova denúncia, o novo escândalo. O constrangimento é geral. Quem foi para as ruas avalizar o impeachment de Dilma, mesmo sabendo do que foi chamado de "pedalada fiscal" era uma farsa, agora se escondem em casa. O pior de todos os legados é que "ninguém merece" viver assim, num estado de desânimo total. A sociedade precisa reagir. Até entendo seu estado de apatia. Afinal o que se observa nos Três Poderes, como possíveis alternativas para a crise, não é nada animador.

Saindo um pouco da política rasteira que abala a sociedade em função de tudo que presenciamos, a ponto de querer mandar às favas juristas, políticos, delatores e corruptos, não podemos fechar os olhos. Até porque temos responsabilidade com as novas gerações. Sobre nós e sobre os que virão, o preço a ser pago pelas consequências dos desatinos praticados será muito alto. A falta de bons gestores e de políticas públicas, só irá se agravar. Nossas cidades crescem de forma desordenada, sem a devida atenção com o futuro. Mais uma vez a melhor expressão para resumir o caos urbano, é: "ninguém merece". Na foto acima um registro sobre o que está acontecendo em Florianópolis. Na última quarta-feira, véspera do feriado, o tempo que levei para sair da ilha foi de duas horas (*). A distância do Instituto IDEAL até a ponte é de 10 km. Parecido com esse estresse, só São Paaulo ! 

(*) Para quem conhece Florianópolis sai da UFSC às 16 horas. A foto acima foi batida antes de chegar na ponte,  às 18 horas. Se já é assim agora, com 500 mil habitantes,  como será no futuro? Com a palavra prefeito e vereadores de uma linda cidade ameaçada pela falta de gestão.